Paróquia Divino Salvador
Rua Divino Salvador, 153 – Piedade; Rio de Janeiro, RJ

A paróquia Divino Salvador, claramente é um marco na arquitetura neogótica na cidade do rio de janeiro, transformando a paisagem do bairro da piedade na zona norte, assim como a comunidade ao seu redor, tendo como objetivo preservar a história e as tradições salvatorianas assim como podemos ver na missão da paróquia pelo seguinte discurso:

                         “Temos o compromisso de anunciar a Boa Notícia do Salvador, testemunhando os valores                                do Reino. Cada vez mais animados por esta causa queremos, com nosso estilo de vida                                    fazer também um convite, para que outras pessoas, atraídas pela proposta de testemunhar                            os valores do Evangelho e anunciar o Deus Verdadeiro, na pessoa de Jesus Cristo, o                                        Salvador, venha conosco dar continuidade a Missão Salvatoriana.”

A origem da paróquia Divino salvador começa a partir da primeira vinda dos padres salvatorianos para o Brasil, em 1896. O objetivo principal era fundar uma província salvatoriana, no entanto, não obtiveram êxito por inúmeras dificuldades. Esse cenário foi mudado com a chegada no início do século XX, do padre Felisberto Schubert. Este manteve um incansável empenho para formar e edificar a comunidade salvatoriana no Rio, deste modo foi comprado em 1908 um terreno na rua Berquó, naquele período um reduto de bêbados, delinquentes e até de assassinos. Começava então em 1910 com a bênção da pedra fundamental do templo, a construção da então igreja do Divino Salvador.

A obra enfrentou contratempos, porém o trabalho árduo do padre Felisberto, assim como dos fiéis, do Apostolado da Oração (fundado em 1902, ainda na paróquia Nossa Senhora da Piedade), o templo foi inaugurado no dia 07/04/1912, em um domingo de Páscoa. O  templo ainda não possuía as cúpulas centrais da parte de trás. Assim, tinha 30m x 10 m.

 

Posteriormente devido ao grande movimento espiritual, foi concedido, em 1920, o privilégio de matriz à igreja, podendo ela assim exercer as funções paroquiais. A elevação à paróquia, no entanto, veio somente em 7 de abril de 1936. O primeiro pároco foi padre Felisberto, o pároco seguinte padre Benigno foi quem levou adiante a ideia de trocar os antigos sinos. O centenário de nascimento do padre Jordan, em 1948, foi festejado também com a sagração dos 4 sinos, em 25/07/1948. Nesse mesmo dia, com a presença de Gama Filho, a rua Berquó tornou-se rua Divino Salvador.

Em 1962  já com padre Pedro Marques como pároco, que foi realizado o atual afresco que fica no presbitério, bem como os afrescos das cúpulas. Foram construídos os púlpitos, os arcos laterais (que dão acesso à sacristia e o outro que hoje abriga a capela do Santíssimo) foram abertos, e a igreja passou a unir a arquitetura gótica com pinturas modernistas no templo. Padre Alberto  que estava na paróquia desde a década de 1930 tornou-se pároco em 1966 e logo empreendeu a construção da Sede Social, com a ajuda dos paroquianos a obra ficou pronta em 1975. Foi com padre Contini que ficou na paróquia por 31 anos, que a paróquia ganhou os atuais contornos. Assim, foi construída a quadra externa, o mosteiro, a atual casa paroquial e a Casa de Acolhimento.